20110118

Escuta

O verde prateado do lago
Manso e quebrado
Onde mergulho os meus olhos
Quais asas na brisa pousadas
Solta silêncios alados
Ecos perdidos soprados no sol
Que flores amarelas de insectos pousados
Perfumam de cor e vida e calor
A voz cala-se às reentrâncias
Da luz ao bordejar das margens
Os sons repousam
E é o silêncio que se faz verbo
Escuta
Sssschhiiu!