20111103

O Meu Peito

O meu peito é um banco de jardim
Onde me sento cansada
No trilho de uma alvorada
Que espero amanhecer

É campo de malmequeres bem-me-queres
De pétalas espreitando o sol
Num fado em dó bemol
De um imenso céu nublado

O meu peito é um corcel
Numa lua de papel
Em desenho circular

É uma mala de senhora
Tão cheia de tudo e de nada
Onde me custa encontrar

9 comentários:

Carla disse...

belo este palpitar
bj

Ana Tapadas disse...

Muito bom no plano do significado.

Beijinho

Baby disse...

Lindo o teu poema, uma verdadeira arca do tesouro, o teu peito!

Beijos.

GarçaReal disse...

Um poema belo mas que no fundo tem laivos de tristeza.

Gostei imenso e da musica também

Um bom domingo

Bjgrande do Lago

O Árabe disse...

Bom te ver de volta por aqui... com a mesma qualidade de sempre! :) Boa semana.

O Profeta disse...

Os olhos que choram
Não sabem mentir
As mãos que me tocam
Levam à alma o sentir

O abraço sincero
Aplaina meu corpo frio
Veste-me de sol ardente
Solta meu sonho em azul rio

Os sonhos perdidos
As juras e promessas que fazia
Guardei-as num cofre
Lancei à maresia

Mágico beijo

GarçaReal disse...

Festas Felizes e um Ano Novo repleto de paz, amor e esperança

Bjgrande do Lago

poetaeusou . . . disse...

*
Amiga
visito-te com amizade,
carinho e respeito !
,
Gostei dos teus Posts, parabéns ! !
,
retornei e o meu regresso
tem as asas da boa vaga
esquecendo a onda amarga
tão triste no seu quebrar,
porém, é belo o seu trovar,
ecos fortes e salgados,
de Paz , “standarizada” !
Paz nos meus votos sagrados,
que aqui deixo, bem expresso !
,
conchinhas, muitas, para ti !
*

vieira calado disse...

Hoje desejo-lhe

um excelente Dia da Mulher!

Saudações poéticas!