20110809

Fugir e Amar

Um chão que nos foge dos pés
Uma paisagem que nos treme nos olhos
Um mundo que não nos cabe nas mãos

Uma dor que nos chega
Uma palavra que nos parte
Um sorriso que nos morre

Uma voz abafada na garganta
Um olhar desfocado de cor
Um sentimento preso na pele

Uma ausência forçada
Uma estrofe falida
Uma ferida imunda

Uma boca faminta
Uma janela fechada
Uma tela deserta

Um abandono que mata
Uma flor de vida pisada
Um desrespeito que é faca

Um vento de nortada
Uma bomba perdida
Um grito de rajada

Um rol infinito
Um mundo enlouquecido
Um desamor a céu aberto

Fugir é imperativo
Escapar ao perigo que nos espreita o canto
É hora de calcorrear a vida mostrando que ela também é amar



13 comentários:

Fernando Santos (Chana) disse...

Belo poema....Espectacular....
Cumprimentos

Ana Tapadas disse...

É um poema muito belo e diz-nos de tanta verdade...

bj

GarçaReal disse...

Por vezes é necessário percorrer os caminhos da vida por serem também uma forma de amar...No entanto uma amor aquece sempre o âmago.

Belo poema

bjgrande do Lago

O Árabe disse...

Fugir e amar... quantas vezes são verbos que se complementam! :) Boa semana, amiga.

Lídia Borges disse...

Um olhar sobre as coisas sob o signo do caos. Fugir parece-nos sempre a solução, porém é a solução mais fácil. Difícil é ficar e amar... Amar,apesar da chuva, apesar do vento e dos temporais.


Um beijo

Fabrício Santiago disse...

Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Fabrício e cheguei até vc através do Blog do São. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir meu blog Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. Estou me aprimorando, e com os comentários sinceros posso me nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs

Narroterapia:

Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.

Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.

Abraços

http://narroterapia.blogspot.com/

tecas disse...

Belo poema!« Um abandono que mata
Uma flor de vida pisada
Um desrespeito que é faca»...uma verdade registrada pelo olhar da alma.
Parabéns, querida!
Bjito e uma flor.

O Árabe disse...

E aí... quando vem o novo post? :) Boa semana!

tossan® disse...

Nossa! Isso é muito lindo! Poesia Pura!

David disse...

Grande participação!!
Gostei bastante!

Sigo ;)

Baby disse...

Maravilhoso poema, forte e sofrido, o grito de alguém que enfrenta a vida e nunca lhe vira as costas.
Beijinho.

Beautiful Stranger disse...

Passando para desejar um excelente final de semana.

Lindo Post!

Beautiful Stranger
strangerbeautiful.blogspot.com

O Profeta disse...

O tempo corre em sua em sua invisível viagem
Um Santo nunca dorme no altar
Um barco sobe e desce cada onda do Mar
Um cais de partida também acolhe o chegar

São tantos os mistérios que encontrei na vida
Cruzei com gente desconhecida que conhecia bem
Falei e falo com gente que partiu desta vida
Sinto tanto aroma perdido que este tempo guarda e tem

Mágico beijo