20100517

Naufrágio

Inspiro o ar da manhã
Como quem bebe
Nos lábios um beijo
E se entrega nessa magia

Encosto os olhos e absorvo
O odor da maré
Como quem recebe
No peito um abraço
E se encolhe nesse aperto

Acordo o olhar
E avisto ao longe o azul
Brilhando por entre as dunas
Confundindo-se com outro azul
Que sobe às alturas

Naufrago

Para naufragar
Não é necessária embarcação
Basta que a não haja

Mas dou à costa
E desperto...