20101124

Transparência

Abre a janela
Deixa entrar a luz do dia
Essa transparência branca
Que alumia na manhã
Clara magia
Inspira fundo e absorve-a
Observa-a sente-a
Deixa que se troque de ares contigo
Te sorria e te alimente a fantasia
Respira a luz que te cega
Esse piscar de olhos
Esse mar transparente e sorridente ar
Ainda que tímido e leve
Deixa que te leve ao coração a Luz Maior
Que é energia é poesia é cor
A maior transparência que é Vida
E a Verdade e Todo Amor


13 comentários:

Valquíria Oliveira Calado disse...

E disso precisamos, em especial da verdade e amor, beijinhos Perla.
Tenho uma neta com esse nome, adorna minha vida, escolhi o nome dela pela forma que a pérola é formada... linda .

Eduardina disse...

Perla:
Este seu cantinho deixa-me deleitada. Agrada-me a força que emana daquilo que escreve.Entendo a sua ligação à chuva. Ela é rcorrente nos seus textos. Até o seu nome "Perla" (também de orvalho).
Beijinho.

Fernando Santos (Chana) disse...

Belo poema...Espectacular....
A saudade é um lago transparente a refletir a imagem do amor ausente.

Cumprimentos

tecas disse...

Magnífico poema! Linda mensagem de luz e amor.Nuvens de orvalho é um recanto de onde o orvalho entra de mansinho dentro de quem aprecia poesia.
Bjs

GarçaReal disse...

A claridade é sempre a luz que aconchega a alma e dá brilho ao coração.

Muito bonito o teu poema

bjgrande do Lago

O Árabe disse...

Eis um desafio muito bem vencido! E é bom ver você de volta. :) Boa semana.

Baby disse...

Poema cheio de esperança e de luz, onde transparece o amor pelo Amor e pela Vida.
Que a tua janela seja sempre uma porta de entrada para a verdadeira felicidade.

Beijinhos.

Espaço do João disse...

Verdade e amor
Qual a mais preciosa
Entre dois prefiro uma flor
De preferência uma rosa
Por ter perfume sem dar dor.

Boa semana e um abraço de amizade. João

Carla disse...

bela esta transparência de sentires
beijo

Espaço do João disse...

Abro a janela e o que vejo
Abro a janela entra o frio
Abro a janela sinto o desejo
Abro a janela vejo o rio

Janela aberta entra o frio
Janela fechada não entra o vento
Janela fechada calor concentra
Janela aberta o frio entra


Para que o calor da lareira aqueça os desprotegidos do frio. Um abraço. João

poetaeusou . . . disse...

*
transparência,
um límpido cristal,
polido, translúcido !
,
brisas transparentes,
deixo,
,
*

O Árabe disse...

Boa semana, amiga. Aguardo o novo post! :)

Vieira Calado disse...

E é bom abrir a janela

e deixar entrar a luz,

A cor suprema da poesia!

Beijoca