20100826

Em Tempo

Queima
O sol
A pele
Arde sem nuvens
O céu
Espelha fogo
O olhar
Transborda
O mar
A areia
Derrete
A cor
A dor
Desmaia
Em tempo
De amor

10 comentários:

Baby disse...

Sempre o Amor, a dor que queima, o Sol que arde na pele, o mar que espelha o sol e se derrete na areia, um olhar que desmaia em tempo de amor...
Tudo pode o Amor.

Beijos.

GarçaReal disse...

Uma conjugação belíssima...
E nesse tempo de amor com o calor e o olhar a desmaiar é belo...

Obrigada pela visita

Bjgrande do lago

Multiolhares disse...

Lindo e cadenciado poema
Bj

Vieira Calado disse...

Registei algumas interessantes transposições de ideias.

Beijocas

Dois Rios disse...

Oi, Perla!

Gostei muito do poema. Há uma duplicidade de sentido entre um verso e outro. Se é que estou me fazendo entender, já que de poesia, ainda que eu adore, só entendo de gostar.

Muito obrigada pela gentileza da sua visita. Não retribui a mais tempo porque andei meio afastada do blog.

Grande beijo,
Inês

O Árabe disse...

E a poesia
é linda. :)

Boa semana, amiga!

Fernando Santos (Chana) disse...

Belo poema...Espectacular....
“O tempo é o berço da esperança e o túmulo da ambição.”
(C. C. Colton)

Cumprimentos

Joaninha disse...

Perla,

Foram boa as férias ;-)

beijos

Vieira Calado disse...

Vim ver se havia novidades...


Saudações poéticas

GarçaReal disse...

Espreitando....

Boa semana

bjgrande do Lago