20100212

Lago de águas mansas

A minha alma é um lago
Tranquilo
Só soprado aqui e ali
Por brisas
Ligeiras
E ondeado ao de leve
Por alados motins
Dos seres que o habitam

Alimentam-no regatos
Sussurrantes
E beijam-no a luz
Das estrelas
E da lua cheia

Busca a cor nas flores das margens
E nas aves que o sobrevoam

Perfuma-se do nascer
E do pôr-do-sol

Enamora-se dos pingos da chuva
E do arco-íris

É espelho do Sol que lhe dá a vida
Em dias de calmaria

Embora salpicado por neblinas
E temporais
É um lago
De águas mansas
A minha alma

10 comentários:

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Perla, gostei do poema...Espectacular....
Beijos

OUTONO disse...

Não gostei do poema...

...

...

...Adorei o poema, tem traços da minha luz, do meu sentir!

Beijinho.

Nota: desculpa as minhas ausências...quantas vezes passo por aqui e não deixo comentário. Apenas um viver acelerado...que mata o tempo...

Joaninha disse...

LIndo!

Beijos

Baby disse...

Quem tem uma alma assim, deve viver uma felicidade perfeita.
Que as Nuvens de Orvalho protejam e alimentem esse lago traquilo.

Beijos.

Manuela disse...

Que bom ter a alma assim...preciso dessa calma em palavras tão profundamente subtis. Voltei. Convido-a a visitar o meu espaço (se assim o desejar, claro): http://sentimento.canalblog.com

antonio - o implume disse...

Gostei muito da tua alma que rouba a cor ao voo dos pássaros e se troca de namoros com os céus e tudo o que nele existe...

Os sonhos também são um lago, agitado por vezes.

O Árabe disse...

Alegria em ver-te de volta... e em grande estilo! :) Boa semana.

Vieira Calado disse...

Uma pérola tranquila...

Bjs

O Árabe disse...

Boa semana. Aguardo o novo post! :)

poetaeusou . . . disse...

*
belo Perla,
lindissimo,
,
conchinhas,
,
*