20091216

Palavras

Querem verter-se as palavras
No vórtice do silêncio
Como quem se despe nos versos
Que encerram um poema
Mas o silêncio confrangido e nu
Vestido só do frio que o atinge
Por mais que sinta perto
As palavras que voam no vento
Não as pode comportar
E num gesto gelado e doente
Repele-as cobardemente
Ficando a vê-las pairar

E, no entanto,
a Palavra se fez carne e habitou entre nós!

Feliz Natal!

8 comentários:

Sonia Schmorantz disse...

Natal...
É o mês de confraternização Agradecimento pela vida
Bênçãos ao filho de DEUS
União, amor, reflexão!

Que o bom velhinho traga um saco cheinho de paz,
harmonia, fraternidade
Que o gesto de ternura se estenda de várias mãos
Que ao som dos sinos
O amor exploda em toda direção!

FELIZ NATAL!
UM ANO NOVO DE FÉ E SUCESSO!
um abraço!

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá. belo poema...Espectacular....
Votos de faliz Natal....
Beijos

Carla disse...

porque as palavras precisam de vida
beijos

Vieira Calado disse...

Feliz Natal

também para si, amiga!

Bjs

poetaeusou . . . disse...

*
palavras
são letras artitectadas
condensadas
no teu poema que eu senti ...
,
conchinhas floridas,
ficam,
,
*

poetaeusou . . . disse...

*
esvoaça o Natal,
o 2010, está a chegar,
,
se eu fosse o futuro
pincelava o 2010
de um modo desigual,
invertia os grandes mestres
estimulava os absurdos
convertendo o obscuro,
o branco seria carinho
a tolerância o preto
no rosado da saúde,
e o azul da amizade
feita ternura esmeraldina
na meiguice amarelada,
eu quero a Paz anilada
no lilás da paixão
em violeta de amor,
e de forma desejada
ofereço, como gratidão,
o perfume de uma flor.
,
que venha o 2010 !!!
,
conchinhas
,
*

O Árabe disse...

Feliz Ano Novo, amiga! Que nele o orvalho da felicidade caia serenamente sobre os seus dias. :)

Espaço do João disse...

Bem.
Por cá tenho passado mas,o tempo parou em Outubro? Espero que com este frio e o Novo ano haja mais frequência.Desejo-lhe um ANO NOVO com muita Saúde, Pão, Paz e Amor.