20091019

Aborrecimento

Estou aborrecida
Prostrada
Que foi que me aborreceu?

É este mundo
Uma fantochada
Onde se encontra cada figura
De uma imensa piada!

Cada pigmeu
Com ar de senhor doutor
Que para granjear um favor
Ou para ser engraçado
Se arma em gigante
Adamastor!

Um enfado
Sim, senhor.
E cá estou eu
A soltar um breve lamento
Sem conseguir pôr de lado
Um ar de aborrecimento.

15 comentários:

Demóstenes disse...

Não insulte os pigmeus!!!

Lindo!!!

fd disse...

Perla, habitualmente não leio poesia, talvez por não a alcançar. No entanto, aqui gostei dos teus versos e, talvez pela vertente de intervenção social, até me soaram a letras de Hip Hop. Espero que esta comparação não seja ofensiva para ti, pois é um elogio. Lembrei-me de Da Weasel.

Carmela Alves disse...

Falou e disse.

Bjus

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Perla, poema espectacular....
Beijos

O Árabe disse...

Mas procura pô-lo de lado, sim... não vale a pena! :) Boa semana.

antonio - o implume disse...

O mundo fantoche não se revê ao espelho...

Sonia Schmorantz disse...

Fiquei muito contente por ter recebido tua visita, teu espaço é um dos que visito a mais tempo, sempre o admirei muito!
beijos

Carla disse...

mas para lá dos lamentos há os sorrisos e isso é o que importa
beijos

Vieira Calado disse...

Obrigado, caríssima,

pelos seus votos em relação

ao meu novo livro.

Bem haja!

Baby disse...

Interessante o teu poema, pois até consegue que ponhamos de lado aquele "ar de aborrecimento" que por vezes nos veste o semblante...

Um beijo.

Sonia Schmorantz disse...

Que tenhas uma semana iluminada, sem nada destes aborrecimentos...
beijos

O Árabe disse...

Boa semana, amiga! :)

Uma estrela errante disse...

Bom dia,

Belo o teu poetar... em todo uma verdade.

Beijinhos

Isa

Espaço do João disse...

Parece-me bem que só estamos aborrecidos quando não sabemos fazer poemas belos como tu fazes. Andarei sempre aborecido...

Joaninha disse...

Como eu entendo esse aborrecimento.

beijos