20080524

Uma questão de pele

Tu és o meu amigo,
És o meu cúmplice,
Meu eco do coração.
Tua barba me pica,
És o meu homem,
A minha paixão.

Tuas mãos são de lã,
Teus lábios de seda,
Tua língua é veludo.
Tu és o meu homem
E és o meu tudo.

És a pele da minha pele,
A minha inspiração.
És as minhas reticências...
E o meu ponto de exclamação!

20080514

O acordar do pavão

Escuto estremunhada
Os gritos do pavão
Nem sei se estou acordada
Mas parece-me que não
É ainda madrugada
E ontem fiz serão...

Rebolo para o lado
Estatelo-me no chão
Ouço a tua voz de zangado
Por tão grande trambolhão
"Agora estou destapado
Tiraste-me o edredão"

Vens para junto de mim
Tomas conta da situação
E nos lençóis de cetim
Envolves-me em sedução
Com "pós de perlimpimpim"
Me enches de confusão

Será sonho ou fantasia
Realidade ou ficção
Já não sei se é noite ou dia
Só sei que não estou no colchão
É enorme a levadia
Que me salta o coração

E nestas ondas nadando
Neste mar de elevação
Vou dormindo vou sonhando
Vou ardendo em paixão
E nas núvens flutuando
Em maciço de algodão

20080507

Apagar

Vou dominar um impulso
A alhear vou aprender
Cerro as janelas aos olhos
Corro as cortinas à mente
Coloco trancas à boca
Fecho à chave os ouvidos
Amarro os pés e as mãos
Quem sabe se sem conhecer
Sem caminhar e sem ver
Sem falar nem perceber
Sem ouvir o coração
Talvez faça muito mais
Do que acessar canais
E escute a voz da razão