20080514

O acordar do pavão

Escuto estremunhada
Os gritos do pavão
Nem sei se estou acordada
Mas parece-me que não
É ainda madrugada
E ontem fiz serão...

Rebolo para o lado
Estatelo-me no chão
Ouço a tua voz de zangado
Por tão grande trambolhão
"Agora estou destapado
Tiraste-me o edredão"

Vens para junto de mim
Tomas conta da situação
E nos lençóis de cetim
Envolves-me em sedução
Com "pós de perlimpimpim"
Me enches de confusão

Será sonho ou fantasia
Realidade ou ficção
Já não sei se é noite ou dia
Só sei que não estou no colchão
É enorme a levadia
Que me salta o coração

E nestas ondas nadando
Neste mar de elevação
Vou dormindo vou sonhando
Vou ardendo em paixão
E nas núvens flutuando
Em maciço de algodão

23 comentários:

manuela disse...

Uma poesia deliciosa!...o sonho pode ser tão real...beijos.

Filoxera disse...

Olha, eu estou num daqueles dias em que não me importaria de ficar debaixo do edredão aninhada, sem horas...
Beijos.

.::Borboleta::. disse...

os sonhos e os desejos confundem se tantas vezes...
gostei do poema
beijinho*

Carla disse...

entre o sonho e a fantasia palavras de encantar
beijos

Vieira Calado disse...

Um sonho doce... em cama de algodão!

Cumprimentos

© efeneto disse...

Poesia encantadora com uma pitada de humor. Tal como o amor deve ter tambem.
Gostei imenso do humor colocado no meio do algodão.
Beijito de amizade

osátiro disse...

A vaidade do pavão...

Cristina disse...

Os seus versos são lindos .
O seu belo espaço terá sempre a minha visita.
Um beijinho.

Auréola Branca disse...

Será isso um sonho? Ou um desejo que teima em deixar teus olhos abertos?
Muito bom.

EDUARDO disse...

bonita pérola, delicadamente sentida!

beijinho...


paradoxos

Rui disse...

Irá chover orvalho.

Twlwyth disse...

Uma confusão flutuante. Instantes de sonho e realidade. Desejos...

Beijo e bom fim de semana

Miguel Barroso disse...

"nado entre os peixes e os recifes de coral e só me lembro que sou feliz"

© efeneto disse...

Perdi-me em mim
Onde sempre me procurei
Entre palavras e sentidos
Onde sempre me demorei
Entre versos feitos de cetim

Perdi-me em mim
No onde e no entre assim
No princípio, meio e fim
Perdi-me em mim...

Apenas me achei para lhe desejar
Bom fim-de-semana
Na companhia de quem ama...

Alma Nova ® disse...

E nessas ondas nadando,
seja na cama ou no chão,
alastra essa paixão
que te confunde e abraça
inundando o coração.

lua prateada disse...

Nas amarguras da vida
Há sempre um quê de nós
Que nos avisa, que nos diz
"Como és querida"!...

Mas tais palavras são suficientes
Para não me sentir perdida.
E assim por aqui te deixo um feliz
fim de semana e um carinho de amiga.

Beijinho prateado
SOL

Cátia disse...

O sonho, o realidade... a noite e o dia... no fim, fica o amor e a paixao.

Uma delicia passar por aqui... magia que se sente.

Beijo enorme para ti

varal experimental disse...

Muito lindo!!

Beijos e boa semana.

O Árabe disse...

Belo texto, amiga. Marca, parece-me, de uma noite inesquecível. :) Boa semana.

*izil* disse...

Muito bom seu blog, suas escritas, adorei

Carol disse...

Acho os pavões lindos e adorei o toque de humor deste poema.

lua prateada disse...

Sim linda poesia e linda música...

Sobrevoei nas asas do vento
Parei em teu cantinho
Deixando aqui cair
Todo o meu carinho.

Deixando também a paz
Que de mim emana
E te desejando
Um lindo fim de semana.

Beijinho prateado

SOL

Espaço do João disse...

O amor é como a chuva no oceano. Nunca enche por muito que chova.